Notícias

Circuito movimenta 3.500 atletas de 35 cidades da Região Metropolitana


Cerca de 3.500 atletas participaram das seis etapas da 1ª edição do CCRM (Circuito de Corridas da Região Metropolitana), cuja premiação aconteceu no final de abril, patrocinado pelo Centro Universitário Moura Lacerda, dentro de seu Projeto de Relacionamento com a Comunidade. Os primeiros colocados foram Samur Inácio, de Pratápolis (MG), e Josiane Cristina, de Ribeirão Preto (SP). No evento de entrega das medalhas aos finalistas de cada categoria, no Auditório “Ilka de Moura Lacerda”, Unidade I/Sede, estiveram presentes Fabiano Ribeiro, jornalista, educador Físico e proprietário da empresa RP Esportes, e Eduardo Batista, diretor do jornal Tribuna, organizadores da competição. Gabriel Guimarães, diretor Municipal de Esportes, representou o secretário Ricardo Aguiar e o prefeito Antonio Duarte Nogueira Júnior.

 

Os atletas somaram pontos em competições nas cidades de Ribeirão Preto, Santa Cruz da Esperança, Cravinhos, Altinópolis, Serrana e Tambaú, pela ordem das corridas. O CCRM contou com o apoio das prefeituras por onde a competição passou, Moura Lacerda, Gold Meat, Viação São Bento, Powerade, água Crystal, JRM Florestal e RibeirãoShopping. Para Fernando Mello, coordenador de Comunicação do Centro Universitário, a instituição de ensino apoia eventos esportivos com foco em qualidade de vida. Vem, inclusive, criando ações para o público interessado, com diversas provas de rua na Unidade II/Campus. “Sempre nos aliamos a parceiros com expertise comprovada nas mais diversas atividades esportivas e de entretenimento em busca de resultados positivos à coletividade”, afirmou.

 

Integração regional

 

Inácio ressaltou a integração do público regional proporcionada pelas provas, atletas que nem sempre têm recursos para participar de corridas nacionais, portanto, mais caras, como um dos destaques. “Estar nas provas nestas cidades também me ajudou na preparação para competições mais acirradas, como a Meia Maratona de Florianópolis (SC) e a de Ribeirão Preto”, contou. Segundo Batista, o circuito promoveu os primeiros eventos esportivos em nome da recém-criada Região Metropolitana. “Houve grande envolvimento da população. Não houve distinção entre os participantes. Empresários bem sucedidos e empregadas domésticas correram juntos. Atletismo é um esporte muito democrático”, disse.

 

“Cada cidade e cada percurso tiveram suas particularidades, mas sempre fomos recebidos de braços abertos. Os municípios e seus cidadãos se sentiram valorizados por receber etapas do circuito. Neste ambiente todo, o Moura Lacerda foi fundamental. Confiou em nosso projeto, comprou a ideia e entregou tudo o que lhe cabia, sem reservas. A cessão da Unidade II/Campus para a estreia, por exemplo, foi importante para termos uma etapa inicial bem estruturada”, ressaltou Ribeiro. Guimarães fez questão de lembrar que sua história de vida e os sucessos conquistados aconteceram por conta de seu envolvimento com o esporte. “Ações como o CCRM deixam como legado às populações atingidas visões de mundo mais integrativas, valores inclusivos e um olhar mais cuidadoso com a saúde em geral”, salientou o diretor de Esportes de Ribeirão Preto.